Navegando em "Arquivos Manômetro - Coppi"
dez 13, 2010
nwmidia

Semana de Manutenção Unilever 2010

A Semana de Manutenção UNILEVER |SEMAU – 2010|, que aconteceu no site de Indaiatuba entre os dias 08 e 10 de dezembro, apresentou as novidades do setor de manutenção industrial para seus funcionários e terceiros. Dentre as novidades apresentadas, destaque para as inovações como o  isolamento té rmico removível. Pela primeira vez, a COPPI expôs em seu estande o ISOLAFÁCIL . Os isolantes removíveis e reutilizáveis são considerados produtos inovadores, de última geração, e podem ser utilizados para isolamento de tubulações, conexões e equipamentos. A sustentabilidade é uma preocupação constante para a COPPI que vê em sua parceria com os produtos ISOLAFÁCIL uma forma de fornecer ao mercado produtos que minimizem o nível de desperdício de energia nas indústrias e que não degradem as reservas naturais do nosso planeta. O ISOLAFÁCIL é fácil de instalar, é removível e reutilizável. Em seu stand a COPPI também contou com a presença de seus fornecedores/parceiros TEADIT, NORGREN, WILLY|ASHCROFT e ASCOVAL.

SEMAU 2010

ago 3, 2010
nwmidia

Calibração de Manômetros Industriais

Na calibração de manômetros industriais um dos fatores mais importantes é o ajuste do zero que é feito colocando-se o ponteiro no valor mínimo da escala com o tubo de Bourdon em estado de repouso, isto é, pressão interna do tubo igual à pressão atmosférica. Nesta posição, uma vez que este manômetro mede a pressão diferencial, o valor medido deve ser rigorosamente zero.

A multiplicação ou faixa é ajustada variando-se o comprimento da haste da alavanca dentada. Quanto maior for o seu comprimento, menor será a faixa. A angularidade do manômetro é ajustada variando-se o comprimento. O cabelo do manômetro não influi na calibração, mas tem a função de eliminar a faixa morta devido à folga que há entre os dentes das engrenagens e dos pinos. A precisão dos manômetros comuns é da ordem de +/- 1% da escala total, mas os manômetros padrão devem ter uma precisão maior, da ordem de +/- ¼%.

ago 2, 2010
nwmidia

Ashcroft® – Instrumentos de Medição

Empresa pertencente à Ashcroft® Inc., multinacional americana composta por fábricas na Alemanha, Brasil, Canadá, Estados Unidos, México e Singapura, além de Joint Ventures na Arábia Saudita e Venezuela. A Ashcroft é hoje Líder Mundial em Qualidade no Segmento de Instrumentos de Medição, Transmissão, Controle e Teste de Pressão e Temperatura.

Fundada em 1850, ano da invenção do manômetro, a Ashcroft incorporou outros produtos ao longo da sua história tais como termômetros, pressostatos e termostatos, transmissores de pressão e temperatura e equipamentos de teste e medição, sob sua marca própria ou por meio da aquisição de outras marcas de igual nível tecnológico e de qualidade. São elas: Heise®, Weksler® e Willy®, marca líder no Brasil desde a fundação de sua primeira fábrica em 1934.

De janeiro de 1950 a novembro de 2005, a Ashcroft esteve sob o controle da Dresser Inc., passando em dezembro de 2005 à condição de empresa autônoma.

Sua unidade fabril Brasileira localiza-se em São Caetano do Sul, no Estado de São Paulo, sendo certificada pelo Bureau Veritas Certification sob a Norma ISO 9001:2000, com acreditação do governo inglês, que atesta a qualidade mundial de seus produtos e serviços. Seu laboratório é credenciado pelo INMETRO para emitir certificados para a grandeza pressão em seu nome.

A Ashcroft orgulha-se também de ser a primeira empresa do segmento a obter a certificação ISO 14000, comprometendo-se a conduzir seus negócios em harmonia com o meio ambiente, atendendo às exigências legais e normas ambientais aplicáveis.

Sua estrutura, composta por uma equipe de técnicos e engenheiros presentes em fábricas, escritórios regionais e em uma ampla rede de distribuidores, oferece atendimento especializado em vendas e suporte técnico nos principais Centros Industriais do Mundo.

Estas são as características fundamentais do sucesso da “Qualidade Mundial Ashcroft® Inc.”, uma empresa sólida, séria e respeitada no mercado, em sua continua busca de soluções para representar sempre a “Alternativa de Melhor Valor Total” para seus Clientes, Funcionários e Investidores.

Fonte: www.ashcroft.com.br

ago 2, 2010
nwmidia

Golpe de ariete

Em hidráulica, a análise dos vários aspectos que a compreende, se defronta com um tema dos mais complexos e que nos últimos tempos tem tido notáveis progressos, que é o que se refere aos fenômenos transitórios. O desenvolvimento deste tema tem se verificado não só devido à sua grande importância em projetos de sistemas hidráulicos, mas também devido às contribuições dos incessantes avanços da informática. Dentre esses fenômenos, o mais comum, que ocorre com muita frequência, e um dos mais interessantes, é o que se conhece como golpe de ariete.

Por golpe de ariete se denominam as variações de pressão decorrentes de variações da vazão, causadas por alguma perturbação, voluntária ou involuntária, que se imponha ao fluxo de líquidos em condutos, tais como operações de abertura ou fechamento de válvulas, falhas mecânicas de dispositivos de proteção e controle, parada de turbinas hidráulicas e ainda de bombas causadas por queda de energia no motor, havendo, no entanto, outros tipos de causas.

É o caso típico de condutos de recalque providos de válvulas de retenção logo após a bomba, e sem dispositivos de proteção. Neste caso a situação de ocorrência do golpe de forma mais desfavorável e com mais frequência, é aquela decorrente da interrupção brusca da energia elétrica fornecida ao motor da bomba que alimenta o conduto. É nesta situação onde corriqueiramente se verificam valores extremos para o golpe de ariete.

Durante o fenômeno do golpe de ariete, a pressão poderá atingir níveis indesejáveis, que poderão causar sérios danos ao conduto ou avarias nos dispositivos nele instalados. Danos como ruptura de tubulações por sobrepressão, avarias em bombas, válvulas e manômetros, colapso de tubos devido a vácuo, etc.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

ago 2, 2010
nwmidia

Manômetro de Bourdon

Na indústria se empregam quase exclusivamente os manômetros metálicos ou aneróides, que são barômetros aneróides modificados de tal forma que dentro da caixa atua a pressão desconhecida que se deseja medir e fora atua a pressão atmosférica. O mais comum é o manômetro de Bourdon, consistindo em um tubo metálico, laminado, hermético, fechado em uma extremidade e enrolado em espiral (Figura 3). A extremidade aberta se comunica com o depósito que contém o fluido cuja pressão se deseja medir; então, ao aumentar a pressão no interior do tubo, este tende a desenrolar-se, e põe em movimento uma agulha indicadora frente a uma escala calibrada em unidades de pressão.

ago 2, 2010
nwmidia

Tipos de manômetros

Um tipo de manômetro já com séculos de existência é o de coluna líquida. Este manômetro contém um tubo, no qual se coloca uma dada quantidade de líquido, ar ou gas. Neste método a pressão a medir é aplicada a uma das aberturas do tubo, enquanto uma pressão de referência é aplicada à outra abertura (geralmente a pressão atmosférica). A diferença entre as pressões é proporcional à diferença do nível do líquido, em que a constante de proporcionalidade é a massa volúmica do fluido.

Os manômetros de coluna líquida podem ser em forma de ‘U’ ou ter uma única coluna. Para se forçar o líquido a percorrer uma maior distância utilizam-se colunas com inclinação (uma vez que a pressão obriga a subir, o que exige um maior deslocamento no caso de a coluna estar inclinada), sendo necessário conhecer o ângulo relativo à horizontal com precisão. Os manômetros de coluna líquida podem ser divididos em manômetros de dois ramos abertos e manômetros truncados.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

ago 2, 2010
nwmidia

Manômetros

O Manômetro (português brasileiro) ou Manómetro (português europeu) (do gr. μανός, ligeiro, pouco denso, e -metro) é um instrumento utilizado para medir a pressão de fluidos contidos em recipientes fechados. Existem, basicamente, dois tipos: os de líquidos e os de gases. Muitos dos aparatos empregados para a medida de pressões utilizam a pressão atmosférica como nível de referência e medem a diferença entre a pressão real ou absoluta e a pressão atmosférica, chamando-se a este valor pressão manométrica; tais aparatos recebem o nome de manômetros e funcionam segundo os mesmos princípios em que se fundamentam os barômetros de mercúrio e os aneróides. A pressão manométrica se expressa bem seja acima ou abaixo da pressão atmosférica. Os manômetros que servem para medir pressões inferiores à atmosférica se chamam manômetros de vácuo ou vacuômetros.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A COPPI tem forte atuação no setor de manutenção industrial, oferecendo serviços de recuperação de instrumentos.

13 minutos ago

Contato

Entre em contato conosco, teremos imenso prazer em atendê-lo!

Rua P. Camargo Lacerda, 157
CEP: 13070-277 | Campinas / São Paulo

coppi@coppi.com.br

Fone / WhatsApp:
(19) 3241-1400